A verdadeira Amy Whinehouse

Que filmaço! Fiquei muito feliz de assitir esse filme, torcer por ele no Oscar e de ver que ele ganhou, na minha visão, merecidamente. Vi o filme pela primeira vez no avião a caminho do reveillon… e gostei tanto que vi na volta também. #viciei

amy o filme

A “miga, sua loka” maior de todos os tempos, walking dead, drogada e alcoolatra, como a mídia britânica e mundial se acostumou a rotular, aqui aparece de forma bem humana, real e apaixonante!

amy winehouse o filme

O filme mostra que Amy cresceu em uma família bem problemática com um pai ausente e que depois do sucesso dela volta para se aproveitar do seu dinheiro. E uma mãe totalmente permissiva que a ignora durante a infância e adolescência, seja quando ela quer matar aula, seja quando ela revela que tem bulimia. Vemos a Amy que vai a escola, tem amigas de infância que a acompanham pela vida inteira, sofre por causa de um namorado aproveitador que de vez enquando a abandona pra voltar pra ex.

Gente, quando vc acha que esse mulher comeu o pão que o diabo amassou, ele volta e passa manteiga!

amy o filme

Mas ela era uma verdadeira gênia, #nobreakingnews! Além de cantar horrores aos 14 anos, mais tarde ainda começaria a escrever as próprias letras e compor as próprias melodias já que a partir de uma deteminado momento, para ela “nada mais a representava musicalmente”. Ela precisava se reinventar!

A aventura começa quando ela tinha 16 anos e um de seus amigos que tinha 19 e queria ser caça talentos tenta promove-la…..

amy o filme

E aí não posso mais contar porque odeio spoiler!! Mas posso dixer que entre a foto de cima e a foto debaixo muitas coisas aconteceram…

Amy o filme

Aqui segue o trailer pra quem ficou curioso sobre a história dessa DIVA imcompreendida que só queria ser amada! Assistam!!

O diretor do filme, Asif Kapadia, está fazendo um documentário sobre o Maradonna e já tinha feito outro doc, também premiado, sobre o Senna. Esse eu não assiti! Se alguém tiver visto, compatilhe suas impressões!!

bjs

 

 

 

Comentário via Facebook

Deixe uma resposta